Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Terreno no bairro Terra Nova gera reclamações - Nova Regional 89,5 FM

Fale conosco via Whatsapp: +55 15 998557714

No comando:

Das às 11:20 - 15:20 - 20:20

No comando:

Das 00:00 às 05:00

No comando:

Das 06:00 às 09:00

No comando:

Das 09:00 às 12:00

No comando:

Das 10:00 às 13:00

No comando:

Das 12:00 às 13:00

No comando:

Das 13:00 às 17:00

No comando:

Das 14:00 às 14:00

No comando:

Das 16:00 às 17:00

No comando:

Das 17:00 às 19:00

No comando:

Das 20:00 às 23:00

No comando:

Das 23:00 às 05:00

Terreno no bairro Terra Nova gera reclamações

No local, moradores temem que o mato alto atraia para as residências animais peçonhentos, além da questão da insegurança nas imediações

erreno fica na rua Silvério Carlos Assumpção, na altura do número 529

Em Tietê, moradores do bairro Terra Nova reclamaram de terrenos abandonados e sem manutenção, especialmente de um localizado na rua Silvério Carlos Assumpção, na altura do número 529. Segundo queixas, ali a situação causa desconforto e preocupação, uma vez que o mato alto atrai bichos peçonhentos para as residências, além de gerar insegurança.
“Quando a Prefeitura de Tietê vai cobrar a manutenção desses terrenos sujos e mandar a conta para os donos? Nós não gostaríamos de ver o Poder Executivo autuar ninguém. Na verdade, nós queremos que as pessoas sejam responsáveis pelos seus terrenos e que os mantenham limpos regularmente, porque não é justo que os moradores que ali moram paguem pela insegurança gerada e pelo desleixo e irresponsabilidade desse proprietário”, desabafou uma moradora.
Outro morador fez a seguinte observação sobre o terreno: “Passo sempre por essa rua e me sinto incomodado. Sei que outras pessoas também se sentem prejudicadas, principalmente quem mora ao lado desse espaço. Mas o que adianta reclamar se o órgão responsável não se compromete em cobrar ação dos proprietários? Infelizmente, situações como essa são comuns no bairro Terra Nova. No entanto, vale lembrar as nossas autoridades que esse matagal serve de ‘berço’ para a proliferação de animais peçonhentos. Entendo que o perigo aumenta para quem tem crianças e animais em casa. Daí, fico pensando: o que adianta a gente manter nosso quintal limpo, livre de sujeiras, se ao lado existe o perigo? Num caso desse, se algo de ruim ocorrer com alguém, de quem será a responsabilidade?”.
MAIS QUEIXAS – Em Tietê, a situação do asfalto da rua Joaquim Rodrigues Alves, na divisa entre os bairros Cohab e Terra Nova, também tem causado reclamações dos motoristas e motociclistas. De acordo com as queixas feitas ao jornal Nossa Folha, a qualidade da pavimentação neste trecho é vergonhosa, já que há buracos, fissuras, ondulações e um insignificativo nível de piche.
Ainda segundo os reclamantes, apesar de ser velho conhecido da população, esse problema parece muito longe de uma solução. “Nesta rua, não tem como desviar dos buracos, pois eles são muitos. A situação está lamentável e não adianta, de maneira paliativa, irem jogar restos de massa asfáltica ou pedriscos de pouca qualidade neste trecho, porque, na primeira chuva, vai tudo embora. É dinheiro perdido! Correto é refazer a pavimentação com material de melhor aderência e nivelar toda a rua. Mas será que algum dia esse serviço sairá do papel? Enquanto isso, temos que aguentar essas péssimas condições!”, desabafou um morador.
Outro munícipe disse assim: “Todos sabem que esse asfalto é ruim e mal feito! Enquanto uma nova pavimentação não chegar aqui, quem trafegar por essa rua vaiprecisar ter muita paciência e a conta bancária com reserva para investir em pneus, amortecedores, pastilhas de freio e demais itens. Lembrando que o correto não era pensar assim, pois aquele asfalto de péssima qualidade veio do uso inadequado do nosso dinheiro repassado por meio dos impostos. Vejo tudo isso como uma situação abusiva! A sensação que tenho é de impotência porque parece que o Poder Público não faz nada de qualidade com os recursos arrecadados”.
Até o fechamento desta edição, a Prefeitura não se manifestou em resposta às queixas.

Deixe seu comentário: