Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

China parabeniza Biden pela vitória nas eleições dos EUA. - Nova Regional 89,5 FM

Fale conosco via Whatsapp: +55 15 998557714

No comando:

Das às 11:20 - 15:20 - 20:20

No comando:

Das 00:00 às 05:00

No comando:

Das 06:00 às 09:00

No comando:

Das 09:00 às 12:00

No comando:

Das 10:00 às 13:00

No comando:

Das 12:00 às 13:00

No comando:

Das 13:00 às 17:00

No comando:

Das 16:00 às 17:00

No comando:

Das 17:00 às 19:00

No comando:

Das 20:00 às 23:00

No comando:

Das 22:00 às 05:00

China parabeniza Biden pela vitória nas eleições dos EUA.

Agora, só Brasil, Rússia, México e Coreia do Norte ainda não reconheceram a derrota de Trump. Presidente eleito conversou com o Papa ontem sobre meio ambiente e imigração.
A China enviou nesta sexta-feira (13) felicitações a Joe Biden por sua eleição como 46º presidente dos Estados Unidos, quase uma semana após o anúncio da vitória do candidato democrata.
“Respeitamos a escolha do povo americano. Enviamos nossas felicitações a Biden e a Harris”, declarou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês, Wang Wenbin, citando também a vice-presidente eleita, Kamala Harris.

Na segunda-feira (9), Wenbin havia se limitado a dizer: “Entendemos que o resultado das eleições presidenciais americanas será determinado de acordo com as leis e procedimentos dos EUA”.

Em 2016, o presidente chinês, Xi Jinping, parabenizou o presidente dos EUA, Donald Trump, no dia seguinte à eleição.

Mas, neste ano, Trump ainda não admitiu a derrota. O republicano diz sem apresentar provas que houve fraude e tenta reverter o resultado na Justiça.

A maioria dos líderes mundiais parabenizaram Biden e Harris ainda no sábado (7), quando a vitória democrata foi projetada pelos veículos de comunicação americanos.

Agora, com o reconhecimento da China, o presidente russo, Vladimir Putin, e o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, estão entre os poucos líderes mundiais que ainda não reconhecem o resultado. A lista também inclui o presidente mexicano, López Obrador, e o ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-Un.

Deixe seu comentário: